"Vivo da floresta, protejo ela de todo o jeito, por isso vivo com a bala na cabeça a qualquer hora, porque vou para cima, eu denuncio. Quando vejo uma árvore em cima do caminhão indo para uma serraria me dá uma dor. É como o cortejo fúnebre levando o ente mais querido que você tem, porque isso é vida para mim que vivo na floresta e para vocês também que vivem nos centros urbanos."

Zé Claudio, assassinado em maio de 2011.



sábado, 24 de dezembro de 2011

Natal - Rubem Alves

Apesar de manter (e amar) este blog, não são poucas, às vezes, em que me considero medíocre e fraca com as palavras. Por sorte, poetas e escritores incríveis traduzem melhor o que penso, sinto e acredito. Hoje o texto é de Rubem Alves, publicado na revista Bons Fluídos, em dezembro de 2008, que traduz lindamente minha opinião sobre o Natal.

Reflitam...


Natal
Rubem Alves

“(…) Natal me deixa triste. Porque, por mais que o procure, não o encontro. Natal é uma celebração. As celebrações acontecem para trazer do esquecimento uma coisa querida que aconteceu no passado. A celebração deve ser semelhante à coisa celebrada. Não posso celebrar a vida de Gandhi com um churrasco. Ele era vegetariano, amava os animais. Uma celebração de Gandhi teria de ser feita com verduras, água, leite e um falar baixo. Mais a leitura de alguns textos que ele deixou escritos. Assim Gandhi se tornaria um dos hóspedes da celebração. Agora, um visitante de outro planeta que nada soubesse das nossas tradições, se ele comparecesse às festas de Natal, sem que nenhuma explicação lhe fosse dada, ele concluiria que o objeto da celebração deveria ser um glutão, amante das carnes, bebidas, do estômago cheio, das conversas em voz alta, do desperdício. Nossas celebrações de Natal são como as cascas de cigarra agarradas às árvores. Cascas vazias, das quais a vida se foi. Se perguntar às crianças o que é que está sendo celebrado, eles não saberão o que dizer. Dirão que o Natal é dia do Papai Noel, um velho barrigudo de barbas brancas amante do desperdício, que enche os ricos de presentes e deixa os pobres sem nada. (…) Pois é certo que as celebrações do Natal são orgias de ricos, celebrações do desperdício e lixo. Celebrações do lixo? Aquelas pilhas de papel de presente colorido em que vieram embrulhados os presentes, não são elas essenciais às celebrações? Rasgados, amassados, embolados num canto. Irão para o lixo. Quantas árvores tiveram de ser cortadas para que aqueles papéis fossem feitos. Para quê? Para nada. A indiferença com que tratamos o papel de presentes é uma manifestação da indiferança com que tratamos a nossa Terra.

Estou convidando meus amigos para uma celebração de Natal. Ela deverá imitar a ceia que José e Maria tiveram naquela noite: velas acesas, um pedaço de pão velho, vinho, um pedaço de queijo, algumas frutas secas. À volta de um prato de sopa de fubá – comida de pobre –, tentaremos reconstruir na imaginação aquela cena mansa na estrebaria, um nenezinho deitado numa manjedoura, uma estrela estranha nos céus, os campos iluminados pelos vaga-lumes. E ouviremos as velhas canções de Natal, e leremos poemas, e rezaremos em silêncio. Rezaremos pela nossa Terra, que está sendo destruída pelo mesmo espírito que preside nossas orgias natalinas. (…)”



Que este natal, nos sirva para refletir. Perpetuar as propagações do bem, tão bonitas na teoria, mas que poucas vezes são aplicadas na prática. Enquanto não almejamos e lutamos para nos tornarmos melhores, nenhuma celebração ou palavras lançadas ao vento terão  alguma utilidade.

Celebremos a vida de Jesus, que jamais pregou alguma religião ou doutrina, apenas praticou o bem em plenitude. E acredito, que é para isso que estamos aqui...

Começamos a mudar, simplesmente...quando começamos!



 







2 comentários:

Ta disse...

Olá Mari,
Me deu uma emoção tão grande ler essa postagem... é exatamente nisso que eu acredito, oro por Natais mais puros, verdadeiros e cheios da verdadeira essência do Senhor Jesus, sem pregações religiosas ou dividas geradas para um ano inteiro.
Que possamos praticar a verdadeira essência natalina, trocando amor.
Espero que não se importe se eu postar isso no meu blog, acredito que devemos propagar o amor, claro citarei esse seu maravilhoso blog que deve ser lido por muitas pessoas sempre.
O Natal é todo dia que fazemos o bem ao próximo.
Feliz 2012 minha flor!
Abraço

Mariana MT disse...

Fique a vontade sempre para replicar por lá o que fica registrado aqui...eu, que agradeço a multiplicação da mensagem...Um lindo 2012 para vc!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...